domingo, 20 de novembro de 2011

Moros y Cristianos


Receita de origem cubana, muito gostosa, diferente, um soco na mesmice da cozinha.

250 g de carne seca
1 xícara de chá de feijão fradinho
200 g de bacon
1 cebola
2 dentes de alho
4 xícaras de chá de arroz
1 folha de louro
200 g de queijo coalho
Sal e pimenta dedo-de-moça
Salsinha picada
1 linguiça calabresa
Em tigelas distintas, coloque a carne seca e o feijão de molho em água no dia anterior
Troque a água da carne seca 3 vezes
No dia seguinte cozinhe o feijão e a carne seca cortada em cubos
Em uma panela frite o bacon
Acrescente a cebola, alho e o arroz para refogar
Junte o feijão fradinho e a carne seca e cubra com água
Adicione o louro e deixe a água secar
Acrescente cubos de queijo coalho e tempere com sal e pimenta
Quando o arroz estiver cozido acrescente salsinha
Em outra panela, cozinhe a calabresa cortada em rodelas
Adicione a calabresa à receita e deixe cozinhar por mais alguns minutos
Porção para 6 pessoas
Acompanha cervejas

Fonte: http://cozinhapossivel.blogspot.com

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Escola Mágica

Há uma escola, aonde não falta magia
Todos os dias têm brincadeiras e festas
As crianças brincam com alegria
Nas rodas da ciranda como uma orquestra

Nesta escola, ainda tem esperança
De educar com amor profundo
Pois no olhar sereno de cada criança
Descobre-se um novo mundo

A magia está presente
Não só no professor
Que faz a mágica contente
Com a cartola do amor

O encantamento é despertado
No sorriso da criança
Todo ensino é ministrado
Respeitando sua infância.

Esta escola, sim existe
Assim, nós a queremos
O sonho que aqui persiste
É o mundo que sonhamos...

Prof. Cristiano José de Oliveira
Secretaria Municipal de Educação

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Creio na Vida Eterna!

"Os que morrem na paz e na amizade de Cristo e os que forem totalmente purificados de suas culpas “vivem para sempre em Cristo” (1 Ts 2, 13-17).

Viver para sempre com Cristo é o que professamos na oração do Credo, quando dizemos que cremos na vida eterna. Celebrar o dia de finados... é render memória aos nossos entes queridos, que conviveram conosco, fizeram história, foram importantes na nossa caminhada e partiram para a morada de Deus. Esta certeza cristã, vivida no mistério da fé, acalenta o coração humano, quando a separação acontece com a chegada da morte.

Morrer não significa o fim de tudo. A carne, o que padece, volta ao pó como se originou, mas o espírito volta para Deus. "E o pó volte a terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu." (Ecl. 12,7). A ideia de volta retoma a ideia de caminho, ida e volta,

Caminheiros... somos todos neste mundo. Caminhando transitamos na pequena passagem terrena. Sendo assim tudo acaba, enquanto seres humanos, feito de carne, meros mortais. Mas o espírito dado por Deus volta ao coração de Deus, para viver plenamente na eternidade.

O tempo de cada um de nós pertence a Deus, Criador de todas as coisas. À criação é concedida a missão de cuidar das coisas da Terra, inclusive do homem, imagem e semelhança do criador.

O cuidado é repleto de amor e carinho, por isso choramos pela partida daqueles que amamos. Sentimos saudades, ficamos às vezes revoltados com Deus, principalmente, quando não queremos aceitar a morte. Fato é que não fomos preparados na vida para termos perdas. Perder pode até parecer um fracasso, mas para Deus deve significar esperança.

Bonito o nome da Pastoral das Exéquias ou Pastoral da Esperança. Pessoas, que consolam e transmite o amor de Deus que de braços abertos acolhe cada filho, cada filha na hora da morte.

O que fica pra nós neste dia é a esperança de que, em Deus, todos nós cristãos viveremos eternamente. Sentir saudade é um sentimento humano. Chorar expressa a saudade, o amor. Se até Cristo chorou à morte de Lázaro, porque não chorarmos pelos nossos irmãos e irmãs, amigos e entes queridos. Como diz a bela canção do diácono Nelsinho: “Só se tem saudade do que é bom. Se chorei de saudade não foi por fraqueza. Foi porque amei.”"

Cristiano Oliveira
Postado no Facebook da Paróquia de Fátima - Pouso Alegre
http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100002921480384

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Passagem


Passa-se o tempo
como o passageiro
tenta passar na
pinguela improvisada

ligeiramente...




Passa-se para a morte

Finados, fim da terra

início do que se crê.


Cora Coralina

Loading...