terça-feira, 29 de janeiro de 2013

EU, POR MIM MESMO!



Eu fico com o suspiro da noite, com a chama que ainda fumega e que abrirá a aurora do novo dia.
Fico com a beleza do silêncio que me fala mais alto do que minhas perguntas. 
Fico com a página em branco, para desenhar e reescrever os erros, assim que for possível.
Fico com as mãos em prece, para aprender a pedir e a agradecer.
Fico com os olhos fitados no Deus que nos fez tão humanos e que nos ama do nosso jeito.
Fico com as incertezas das coisas incompreensíveis e que exigem tanto de nós.
Fico com o projeto de viver, mesmo que seja por só mais um dia.
Fico com a palavra aberta para aliviar os sofrimentos dos solitários.
Fico com aqueles e com aquelas que esperam confiantemente o tempo de viver a metamorfose ontológica.
Fico comigo mesmo quando não posso ficar alheio a mim. 


Crisjoli Fingal

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

CURVAS DA VIDA



Era uma simples bica d’água.
Que derramava água fresca
Lá embaixo formava
um pequeno córrego
Era apenas um córrego!
Eram brincadeiras e banhos

Outro córrego que nasceu
num quanto desconhecido...
Fizeram uma só vida!
Ouviram o chamado do rio
e, inocentemente, partiram...

Caíram na curva do rio
      e se foram...
              mais uma curva...
                    outras margens...

Já se vão décadas
Que a doce lembrança virou mar.
Águas do meu peito.
Mares de minha infância.
Rios do meu sertão.
Margem de minha juventude.
Descanso do meu ser criança.

Crisjoli Fingal

domingo, 20 de janeiro de 2013

DILEMAS



LIBERDADE E AVENTURA (dilemas)

Há dilemas que fazem minha vida
Preenchendo minha cabeça!
Renunciar o amor pela liberdade,
trocar sentimentos por  aventura.
Talvez se aventurar numa paixão
e tentar descobrir a liberdade de amar.
Dilemas!

Uma boa parte desta liberdade
Está no fato de não ser emocionalmente
dependente de ninguém.
Mas depois de um bom tempo sozinho,
quero me aventurar muito mais neste louco desejo.
Mas, o que desejo? O que quero sentir? Onde quero viver?

No meu mundo!
Do tamanho da minha imaginação

preciso me amar mais...
fazer mais amor...
beber uma dose todas as noites...
dormir menos...
correr todos os dias...
abrir as janelas na madrugada...
ler dois livros por semana...
pedir 'bis' para o que gostei...
subir os picos mais altos...
navegar nas nuvens...
e caminhar nas estrelas...
Só preciso trocar a vida em miudos
e vivê-la a meu modo!

Há novos perfumes que preciso sentir,
novos mares que preciso navegar,
novas estrelas pra contemplar,
outras bocas pra beijar,
novas pessoas para sorrir,
novos dias para sonhar
Talvez um alguém para amar!

Trilhando o caminho da vida,
estes são meus dilemas.

E o que fazer?
Talvez seja melhor não encorajá-los,
para não ter que correr deles
ou correr com eles.
Afinal, o que fazer com os dilemas
implica num dilema!
Talvez seja melhor vivê-los!
E a vontade de viver,
não pode jamais, se tornar um dilema.

(Por Crisjoli Fingal e Herbert Godoi)

sábado, 19 de janeiro de 2013

METADE EXISTENCIAL



Só pela margem da direita
esquentando os pés.

No chão quente desta terra distante
aonde minhas pegadas
marcam a estrada poeirenta
sofrida pelo calor, 
eu sou 
o recomeço!

Não posso me dar ao luxo
de uma sombra refrescante.
Aqui,
só existem fios de uma
rede de transmissão

Ilusoriamente,
os homens passam por aqui.
Só os pássaros são reais
no fim deste mundo
que mais me parece
a metade existencial.
A vida recomeça em cada
passo...

Crisjoli Fingal

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

PENUMBRA



Os cravos perdidos
Nas janelas de teu quarto
Hoje, quase pendidos
Nem prendem mais os retratos.

Na sombria parede
De um tempo sem vida
A Lua adormece na rede
Sozinha e perdida

Numa pequena teia
A aranha
       Tece
               Sua cama
Enquanto a Lua
Se despede
             (Sem manha)

Crisjoli Fingal

Cora Coralina

Loading...