domingo, 24 de março de 2013

NOS CAMINHOS DE JERUSALÉM




Mensagem de Páscoa

Jerusalém celeste se manifesta neste tempo santo com a entrada triunfante do Senhor Jesus, aos acenos dos ramos de oliveira, na peregrinação rumo à Jerusalém terrena. É a grande celebração da Páscoa que vamos contemplar. Jesus Cristo caminha conosco numa meditação profunda ao amor Infinito de Deus.

Com a preparação quaresmal meditamos piamente nossa caminhada cotidiana, revendo nossas atitudes, palavras, omissões, desvios do plano de Deus. Refletimos com os jovens, sobre os jovens, a vida do mundo que espera dos jovens uma colaboração, cuidadosa com os bens materiais e espirituais. 

É o Espírito Santo de Deus que nos leva ao Monte Calvário. Calvário que todos nós passamos de uma forma ou de outra. Com as dores espirituais ou físicas, através das enfermidades, com as perdas, com o sofrimento, o distanciamento, a saudade, o vazio, as incertezas e, sobretudo, o medo. Mas, um Calvário em que nós não estamos sozinhos. A cruz que se ergue ao alto é a nossa fortaleza. Nela o Cristo padece por nós. Sofre conosco e se entrega com a gente.

Semana santa não pode ser semana triste. Mas sim a Semana de silêncio, conversão, oração, revisão interior, pois o Senhor faz conosco a sua Páscoa e, nós, fazemos com Ele a páscoa nossa de cada dia. Passamos juntos...

Atravessamos este deserto solitário da alma. Mas, ao longo o céu se abre para mostrar a Grande Luz. É o alvorecer do domingo Pascal. O "túmulo" está vazio. A morte não pertence a Deus. Ele a venceu. Venceu por nós para nos dar a Vida Eterna. Deixa conosco e por nós o ato da Paz.

Querido(a) e irmão(a) a paz do Senhor esteja no seu coração. Esteja no seu lar interior e familiar. A paz esteja na sua mente. Nos seus pensamentos e atitudes. A paz do Senhor esteja no coração dos nossos jovens, sobretudo, aqueles que sofrem com a escuridão. É Páscoa! Desejo que todos nós contemplemos a Luz da Vida.

Abraços pascal de Cristiano Oliveira
Mensagem de Páscoa

Jerusalém celeste se manifesta neste tempo santo com a entrada triunfante do Senhor Jesus, aos acenos dos ramos de oliveira, na peregrinação  rumo à Jerusalém terrena.  É a grande celebração da Páscoa que vamos contemplar. Jesus Cristo caminha conosco numa meditação profunda ao amor Infinito de Deus. 

Com a preparação quaresmal meditamos piamente nossa caminhada cotidiana, revendo nossas atitudes, palavras, omissões, desvios do plano de Deus. Refletimos com os jovens, sobre os jovens, a vida do mundo que espera dos jovens uma colaboração, cuidadosa com os bens materiais e espirituais. 

É o Espírito Santo de Deus que nos leva ao Monte Calvário. Calvário que todos nós passamos de uma forma ou de outra. Com as dores espirituais ou física, através das enfermidades, com as perdas, com o sofrimento, o distanciamento, a saudade, o vazio, as incertezas e, sobretudo, o medo. Mas, um Calvário em que nós não estamos sozinhos. A cruz que se ergue ao alto é a nossa fortaleza. Nela o Cristo padece por nós. Sofre conosco e se entrega com a gente. 

Semana santa não pode ser semana triste. Mas sim a Semana de silencio, conversão, oração, revisão interior, pois o Senhor faz conosco a sua Páscoa e, nós, fazemos com Ele a páscoa nossa de cada dia. Passamos juntos...  

Atravessamos este deserto solitário da alma. Mas, ao longo o céu se abre para mostrar a Grande Luz. É o alvorecer do domingo Pascal. O "túmulo" está vazio. A morte não pertence a Deus. Ele a venceu. Venceu por nós para nos dar a Vida Eterna. Deixa conosco e por nós o ato da Paz. 

Querido(o) e irmão(a) a paz do Senhor esteja no seu coração. Esteja no seu lar interior e familiar. A paz esteja na sua mente. Nos seus pensamentos e atitudes. A paz do Senhor esteja no coração dos nossos jovens, sobretudo aqueles que sofre com a escuridão. É Páscoa! Desejo que todos nós contemplemos a Luz da Vida.

Abraços pascal de Cristiano Oliveira

terça-feira, 12 de março de 2013





"Das tuas pedras escultastes
A obra prima da natureza
E destes com as flores
Um encanto na rudeza."

Crisjoli Fingal

DIA INTERNACIONAL DA MULHER 2013


Que se chamava silêncio
Em um tempo distante de nós
Sem jeito de romper com a palavra
Ficastes esquecida e sem voz...

O tempo soou o encanto!
Traços ao sol – raios de luz e sonhos
Sorriso que encobre o manto
És tu Mulher – raiz do que somos.


Crisjoli Fingal 

sábado, 2 de março de 2013

POR MUNDOS DIVIDIDOS



Somos todos de uma única raiz. Tudo surgiu de um nada, ou melhor de um Todo. Surgiu-se a vida. A existência brilhou com os raios do sol e aos poucos tudo foi se espalhando e à medida que a vida se evolui, o pensamento e o coração foram descobrindo razões e razões para a busca da felicidade. 

Tudo partiu e com a partida nossas origens não perderam jamais a primeira semente que é o amor e a razão primária de sermos o que somos e de estarmos aonde estamos. 

O mundo foi se apresentando, lentamente, a nós a sua beleza e seus segredos. E com o desejo do além aos nossos olhos, a natureza infundiu em nosso ser a ânsia do eterno. Por isso buscamos as coisas eternas e, sobretudo, aquelas que preenchem o nosso vazio.

Por causa do distanciamento de nossas origens e dos horizontes além mar, o mundo dividiu. Origem das coisas incompreensíveis. Das coisas incompletas, coisas inacabadas. Somente o retorno à raiz da vida é que podemos superar os deslizes da falta de compreensão, da falta de humanismo, falta de tempo, de escuta, de silêncio. 


Que cada ser humano busque sua origem. Seus princípios, seus valores para o novo tempo da ordem e da docilidade do espírito.

Crisjoli Fingal 

Cora Coralina

Loading...