terça-feira, 2 de abril de 2013

OLHAR




No céu que habita as nuvens
Nosso infinito nem sempre é azul
Apesar do limite do olhar
O que existe é sempre infinito... 

Crisjoli Fingal 

3 comentários:

Lucian Rodrigues Cardoso disse...

E viva a infinitude do céu e do poema! Gostei do que li! Abraços!

Mauro Cesar disse...

"O que existe é sempre infinito
apesar do limite do olhar
nosso infinito nem sempre é azul
no céu que habita as nuvens..."

depois da poesia de Clarice Lispector
acostumei-me a ler os versos de trás
para frente!
Parabéns Fingal, sempre nos brindando com belos versos!

Crisjoli Fingal disse...

Obrigado pela visita viva de Lucian Cardoso e Mauro Cesar, Abraços carinhoso

Cora Coralina

Loading...