domingo, 12 de julho de 2015

SERTÃO


A estrada que corta este sertão tem poeira, tem pó, pois é estrada feita de chão. É estrada de gente que pisa a terra, que caminha ao calor do sol, que tem força que move o passo. Gente que busca o frescor da noite para descansar a alma. É sertão esquecido por muitos. Quase não amado por ninguém.  Mas, é sertão de resistência. Sertão de paciência e de esperança. Sertão que sobreviveu ao tempo. Que alimentou o sonho e impulsionou a partida. Sertão de saída e de permanência. Sertão de terras distantes. Que poucos aventuraram. Sertão de muitas histórias. De mãos polidas e calejadas de memória. Sertão de céu azul e chão rachado. Sertão de reminiscências e de rogados. 

Crisjoli Fingal

Nenhum comentário:

Cora Coralina

Loading...