quinta-feira, 5 de março de 2015

IMAGINÁRIO


É pouco por demais
Esquecer a indagação
Quando as perguntas ainda não terminaram.
Esta busca insaciável do movimento
Da roda ao seu imaginário
Assim como o som que se perde no eco.
A gota que se cai à terra sofrida.
A angústia da notícia desagradável.
A dor de Pedro ao canto do Galo.
As mãos que lavaram o silêncio de Pilatos.
O caniço da envergadura do bambu
A chegada do vento ao balançar o galho.
A despedida do ninho com a descoberta do voo
A humanidade do Ubuntu
A volta da chave à fechadura.
O nascer do fogo ao riscar do fósforo.
O despertar da vida com a nova ideia.
A fuga das estrelas à magia da Lua.
O desaparecer das cinzas ao despertar da Fênix.
Crisjoli Fingal

Nenhum comentário:

Cora Coralina

Loading...