segunda-feira, 10 de julho de 2017

UM TEMPO PARA CHIQUITA


O tempo é vento que corre sem velocidade
Seu sopro é segredo que guarda saudade
na correria do tempo. O tempo é liberdade
Pois a beleza do tempo é a generosidade.


Na saudade do tempo, o amor não envelhece,
e das marcas do tempo não se esquece.
É ao lado do tempo que o amor enriquece.
Pois a doçura do amor, o tempo não se esvaece.


O amor é como um laço de fita.
que, ao se enlaçar, faz a vida bonita.
No laço de amor de Lázaro e Chiquita,
o tempo fez para os dois, uma vida bendita. 


Crisjoli Fingal


Homenagem ao Casal Lázaro e Chiquita, da cidade de Aguaí, que nesta semana celebram Bodas de Aveia (72 anos) de vida matrimonial.
Poema Publicado no Jornal "O imparcial", 8 de julho de 2017 - Aguaí - SP

Um comentário:

Larissa Pereira dos Santos disse...

Lindo poema! Amei seu blog, continue com sua arte!
Larissa de: minhaliteraturinha.blospot.com.br

Cora Coralina

Loading...